Estimativa de Risco e Parâmetros S, F e P

Escrito por Josue Evandro Conchi

Publicado em 3 de maio de 2021 · 6 minutos de leitura

Quando se fala no manuseio de máquinas e equipamentos, existem muitos elementos por trás dos riscos, nesse cenário, a estimativa de risco se torna muito importante.

Sendo assim, esse é um recurso no qual considera a análise, não só do uso adequado da máquina, como também as situações minimamente previsíveis.

Portanto, um exemplo é a má utilização, falhas de funcionamento, riscos mecânicos, elétricos e térmicos, dentre outros. Podendo ser previsto diante da estimativa de riscos.

Pensando nisso como uma ferramenta na qual atua a favor da saúde do trabalhador, reunimos informações sobre a prevenção de acidentes, com base na estimativa de riscos.

Sendo assim, ao longo do artigo você compreenderá melhor sobre definições e a respeito dos parâmetros S, F e P da estimativa de risco.

Medidas de segurança inerentes ao projeto (Redução de Risco)

O que é a estimativa de risco?

Na tentativa de reduzir acidentes e doenças no ambiente de trabalho, algumas medidas e normas foram criadas. A avaliação de risco é uma medida na qual estabelece a metodologia geral para garantir as máquinas e equipamentos seguros. Essa avaliação pode ser dividida em fases. A primeira delas seria a realização de considerações das limitações do aparelho. De modo a alcançar de maneira eficiente esse objetivo final, é necessário fazer uma análise das limitações da máquina e de cada possível risco no qual ela apresenta ou pode vir a apresentar. A segunda etapa é a identificação dos riscos relevantes, seja qual for a fase de vida da máquina (produção, manutenção, limpeza ou outras).

A estimativa de risco também é uma das etapas da avaliação de risco. Portanto, na estimativa é determinado o nível de risco, com base nos parâmetros de risco. Em outras palavras, é a partir da estimativa de risco que se apresenta um resultado para visualização de um evento perigoso e a probabilidade de sua ocorrência. Dessa forma, o resultado da estimativa configura o nível de risco, mesmo que para chegar até ele não tenha nenhuma ferramenta ou método pré-determinado. Portanto, basta ser de forma fidedigna e eficiente.

Como devo fazer a estimativa de risco?

A estimativa de risco faz parte de uma medida a fim de evitar acidentes. Devido a sua importância, é necessário elencar critérios envolvidos e as possibilidades reais a fim de entender melhor como fazer a estimativa viável. A estimativa de risco é feita através da harmonia entre as frequências com que as hipóteses de acidentes acontecem e as consequências desses eventos. A partir da estimativa é possível encontrar o resultado do nível de risco. Geralmente essa resposta é expressa pelos Índices de Risco, Risco Individual e Risco Social.

Método Hazard Rating Number

Contudo, entre as formas mais utilizadas da estimativa de risco, está o de Hazard Rating Number. Esse método de estimativa, também conhecido como HRN e traduzido para “Valor de Classificação de Risco”, ele expressa em números o risco de diferentes situações no ambiente de trabalho. Portanto, ao utilizar esse método de estimativa, fica mais fácil quantificar e qualificar o perigo e, consequentemente, tomar a melhor decisão sobre o caso. Sendo assim, o cálculo para chegar no HRN é igual a PO x FE x GPD x NP. Veja a seguir o significado de cada sigla:

  • PO: é a Probabilidade de Ocorrência do Dano na qual pode ser identificada como quase impossível, altamente improvável, improvável, possível, alguma chance, provável, muito provável e certo. Cada uma tem uma “pontuação”;
  • FE: é a Frequência de Exposição ao Perigo/Risco categorizada anualmente, mensalmente, semanalmente, diariamente, em termos de horas e constantemente. Cada opção tem a sua “pontuação”;
  • GPD: é a Gravidade da Possível Lesão na qual especifica o grau das lesões de arranhões até a fatalidade. São 7 graus ao todo e cada opção tem a sua “pontuação”;
  • NP: é o Número de Pessoas Expostas, indica se foram 1 ou 2, 3 a 7, 8 a 15, 16 a 50 ou mais de 50 pessoas expostas ao risco. Dessa forma, as demais categorias, nessa também cada grupo de números tem a sua “pontuação”.

O resultado da equação dessa estimativa define o nível de risco no qual os trabalhadores de determinado ambiente estão vulneráveis.

Desafios e vantagens da NR-12

A NR-12 é a Norma Regulamentadora responsável pela segurança no trabalho em máquinas e equipamentos. Ela garante medidas de proteção nas quais favorecem a integridade física dos trabalhadores que operam máquinas e equipamentos, de diferentes portes, em todas as fases do projeto do trabalho. Entre proteções fixas e móveis, a NR-12 segue o princípio de Falha Segura que é quando o controle do equipamento é mantido durante possíveis falhas, evitando acidentes ou incidentes. Um dos desafios da NR-12 é identificar os riscos da máquina, especialmente porque isso envolve definir categorias de segurança. Outro desafio é caracterizar e estabelecer um sistema de segurança para cada categoria e, assim, melhorar a estimativa de riscos.

Sendo assim, é uma tarefa dessa norma fazer com que o sistema de segurança se mantenha funcional durante todo o funcionamento da máquina ou equipamento. Já as vantagens é algo que torna a Norma NR 12 tão fundamental. Por conta dela, a disponibilidade da máquina aumenta, consequentemente, faz crescer a produtividade. Semelhantemente, há um notório crescimento da vida útil das máquinas, bem como a valorização dos equipamentos. E, além de tudo isso, as medidas acarretam no fim dos custos causados por acidentes.

Sobre os parâmetros S, F e P

Os parâmetros S, F e P da estimativa surgem a fim de melhorar a análise e classificar tecnicamente conceitos nos quais trazem mais segurança ao ambiente de trabalho. O primeiro deles é o S que significa “Severidade do Ferimento”. A categoria se divide em “leve” (S1) ou “grave” (S2) a fim de identificar se o ferimento é reversível ou não. O parâmetro F indica a “Frequência e o Tempo de Exposição”. Dividida entre “raramente” (F1) ou “frequentemente” (F2), a categoria classifica se a exposição foi pequena ou longa e contínua. O parâmetro P se refere à “Possibilidade de Evitar o Perigo”, determinando se é possível ou não. Curtiu o conteúdo sobre estimativa de riscos? Entre em contato conosco e nos deixe saber a sua opinião!

Processo de Projeto – Principais Aspectos

Deixe o seu comentário

Participe do nosso grupo de Telegram!

Tudo sobre NR 12, incluindo materiais gratuitos, planilhas de controle, modelos de análises de risco e uma comunidade engajada sobre NR 12!
Mais artigos relacionados

Processo de Projeto – Principais Aspectos

Primeiramente, para garantir a sua proteção e a proteção do serviço realizado, existem normas nas quais regulam o processo de projeto. Pois, o manuseio de máquinas e equipamentos é extremamente comum na rotina de vários trabalhadores brasileiros, isso exige ter um...

Materiais Gratuitos!

Confira todos os materiais criados pela Normatiza para engenheiros, técnicos e relacionados a NR 12!